Slater absoluto em Snapper

Carey/ASP

Kelly Slater entubando em Kirra em um dia épico. Foram ondas incríveis e disputas emocionantes.

Kelly Slater venceu Joel Parkinson numa das etapas mais empolgantes dos últimos tempos. A final, em Kirra, foi incrível.

O evento inteiro foi um show do começo ao fim, com performances memoráveis. Jake Paterson deve vencer a medalha de melhor diretor de prova, mas tem que levantar as mãos para o céu por esse último dia em Kirra.

Logo na primeira semifinal Joel Parkinson abriu a bateria com uma nota dez de filme. Dropou, entubou uma eternidade, seco, saiu rindo e colocou para dentro outra vez, saindo lá longe com sua segunda nota 10 no evento. A lendária onda de Kirra pode não ser mais a mesma, mas ainda é absurdamente linda e tubular. Dois minutos depois Parko pegou mais um tubo e ampliou a diferença. Michel Bourez marcou 15.80 nas duas ondas que surfou, muito bem. Joel estava inspirado e deu um show de tubos e manobras para ir à final.

Slater e Fanning travaram uma batalha de titãs. Os 19 X 37 X 18.60 refletem a aula de surf e tubos que nos 5 minutos finais tinha Kelly precisando de 9.24 para virar. Numa onda da série ele dropou no vaziu e entubou uma eternidade, controlando a velocidade e a linha que fez dentro daquele canudo. Saiu de lá e aplicou um cut back do além para receber seu merecido e indiscutível 10. Fanning, claro, esbravejou, mas, ao sair do mar não demorou para relaxar e sorrir feliz. Ele sabia que havia feito tudo certo. Foi apenas uma questão de quem ficou com o melhor tubo, declarou. Slater mantinha o sorriso contido, completamente concentrado.

Kirstin/ASP

Kelly Slater comemorando o primeiro título do WCT 2013. Festa para Slater em Snapper Rocks.

Essa era a final que todos queriam ter visto no último evento do ano passado, que deu o título ao Joel Parkinson. Kelly, como sempre pegou logo uma onda. Fraca para o padrão do dia [6.83].

Joel respondeu acelerando por dentro de um tubão, muito seguro [8.67]. Kelly igualou a briga num tubo de videogame. Mas Joel estava inspirado, entubou cheio de estilo, deu mega floater com paulada na junção deixando Kelly na caça de 7.77. Kelly pegou um tubo muito cavado, veloz, extremamente técnico. Saiu e mandou uma rasgada layback poderosa [9.83].

Joel precisava 9.89 e tinha a prioridade. Kelly, o mago, fez com que Parko perdesse a a prioridade numa onda boba. Faltando 8 minutos, depois de muita tensão, Joel pegou uma da série. Vinha acelerando para mais um 10, quando Kelly, com a prioridade, entrou na frente, entubou até a onda acabar. Fez apenas 7.73, mas impediu Parko de fazer dez.

Kelly deve ter lavado a alma, pois não se conforma em ter perdido o circuito em 2012 para Joel Parkinson. Esse ano promete.

Related Content